Alerta do Inpe aponta 2º pior índice de desmatamento da Amazônia Legal no ano de 2020

Alerta do Inpe aponta 2º pior índice de desmatamento da Amazônia Legal no ano de 2020

De acordo com um levantamento do Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe), o desmatamento da Amazônia Legal atingiu o 2º pior índice das história em 2020, com um total de 8.426 km² desmatados. Somente o mês de dezembro registrou um aumento de 14% em comparação ao ano de 2019.


Na somatória o ano de 2020 registrou um desmatamento menor do que o ano de 2019, que obteve o recorde de 9.178 km² devastados. Os alertas dos desmatamentos foram feitos pelo Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter), que utiliza sinais diários de alteração na cobertura florestal de áreas maiores que 3 hectares, tanto para áreas totalmente desmatadas como para aquelas em processo de degradação florestal (exploração de madeira, mineração, queimadas e outras).


De acordo com a pesquisa, os dois anos do governo Bolsonaro configuram o pior cenário de alertados detectados pelo sistema na região amazônica. Segundo, Marcio Astrini, secretário executivo do Observatório do Clima, os números são um reflexo da política do atual governo, que tem promovido destruição ambiental.


“Bolsonaro tem dois anos de mandato e os dois piores anos de Deter ocorreram na gestão dele. As queimadas, tanto na Amazônia quanto no Pantanal, também cresceram por dois anos consecutivos. Não é coincidência, mas sim o resultado das políticas de destruição ambiental implementadas pelo atual governo”, avalia Astrini.


A Amazônia Legal corresponde a 59% do território brasileiro, e engloba a área de 8 estados (Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins) e parte do Maranhão.

Fonte: G1 Globo

Fechar Menu